quarta-feira, 21 de maio de 2008

Paula Allende

Estou arrumando as coisas para ir passar o feriadão em Búzios.Já coloquei na bolsa um livro que quero terminar de ler.Lá,terá muita gente para cuidar da Carol e posso colocar minha leitura em dia.
Aproveito para recomendá-lo:Paula,de Isabel Allende.
Em dezembro de 1991, a filha de Isabel Allende - Paula - adoece gravemente, entra em coma profundo e é internada em um hospital na Espanha. A autora acompanha o sofrimento da filha e começa a escrever uma história - a história de sua família - para a filha inconsciente, na esperança de que algum dia ela desperte. Ancestrais bizarros surgem diante de nossos olhos, ouvimos memórias de infância da autora, aventuras malucas e divertidas dos tempos de juventude, nos anos 60.
Da mesma forma, Isabel despe-se sem pudor. E oferece à filha - e ao leitor - seus segredos mais íntimos. O Chile, seu país natal, e a turbulenta história do golpe militar de 1973. A ditadura, os dias sombrios. Um novo casamento e o exílio. No trabalho de exorcizar a morte, a autora criou um livro despretensioso, que fala direto ao coração. Assim como uma novela de tevê latino-americana, leva o leitor das lágrimas ao riso, do terror à sensualidade
Um livro emocionante, que nos faz pensar sobre overdadeiro sentido do amor, da morte e principalmente da vida. Além de ser uma fabulosa história.
Não vejo a hora de terminar de ler a história de Paula.

8 comentários:

Lucia Cintra Stevenson disse...

Oi Mari, depois que voce acabar de le-lo, da um pulinho nesse site (http://www.elasestaolendo.blogspot.com/) e se quiser participar, nos deixe uma mensagem pra podermos dividir sua opiniao do livro com todo mundo.

Ah! Respondi sua pergunta sim... so que respondi no mesmo post la no meu blog quando perguntou e ja retribui o link. bjos

Tahís disse...

Olá
Sou Thais e estou começando a blogar..quero convidá-la a visitar meu blog "Coisas de Mulher".Podemos nos linkar!
Adoro ler e foi boa a dica.

Vanna disse...

Q vc tenha tido uma ótima leitura, é muito bom ter quem nos ajude a olhar nossos rebentos.
Bjs, bom fim d feriado e ótima nova semana.

Denis Barbosa Cacique disse...

Olá, Mari. Como vai?
Não sei se já vim aqui antes. Estou retribuindo, com um baita atraso, a visita que vc fez ao Nobre Ordinário.
Sobre esse livro, fico admirado com o qto os momentos difíceis são capazes de nos inspirar a criar belas coisas. Como psicóloga, vc deve entender bem isso.
Qtas obras primas devemos à dor de viver?
Bjocas e muito prazer
Denis

BRUNO LEONARDO disse...

Oi,mana
Voltei..srrssr não dá pra ficar fora!!

bjs

Rui Carlo disse...

Tô pensando em publicar um livro... adorei tua resenha, é capaz de eu te convidar pra escrever as orelhas ou a contra-capa ou um segundo prefácio... amei a tua resumidade do livro, despertou vontade de ler...

Rui Carlo disse...

Tô pensando em publicar um livro... adorei tua resenha, é capaz de eu te convidar pra escrever as orelhas ou a contra-capa ou um segundo prefácio... amei a tua resumidade do livro, despertou vontade de ler...

Flávia & Kbça disse...

è, como disse o Rui, dá uma vontadezinha de pegar ele pra ler... mas no meu caso preciso primeiro criar o hábito da leitura, senão, paro no meio do caminho...

até.