sábado, 31 de janeiro de 2009

Pipocas da Vida


Oi,amigos queridos

Há muito venho olhando para o meu blog,lendo alguns posts de amigos e querendo postar alguma coisa.

Voltei das férias esta semana e na próxima começa tudo de novo.Ainda bem que tem o Carnaval pra se aguardar e mais um semaninha pra descanso.

Gostaria de escrever algo que deixasse uma mensagem positiva pra todos vcs.E me lembrei de um texto,que não é meu,desconheço o autor e que acho muito signifivativo,principalmente pra quem está sofrendo:

Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho para sempre. Assim acontece com a gente. As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo. Quem não passa pelo fogo, fica do mesmo jeito a vida inteira. São pessoas de uma mesmice e uma dureza assombrosa. Só que elas não percebem e acham que seu jeito de ser é o melhor jeito de ser. Mas, de repente, vem o fogo. O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos: a dor. Pode ser fogo de fora: perder um amor, perder um filho, o pai, a mãe, perder o emprego ou ficar pobre. Pode ser fogo de dentro: pânico, medo, ansiedade, depressão ou sofrimento, cujas causas ignoramos. Há sempre o recurso do remédio: apagar o fogo! Sem fogo o sofrimento diminui. Com isso, a possibilidade da grande transformação também. Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, lá dentro cada vez mais quente, pensa que sua hora chegou: vai morrer. Dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, ela não pode imaginar um destino diferente para si. Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada para ela. A pipoca não imagina aquilo de que ela é capaz. Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo a grande transformação acontece: BUM! E ela aparece como uma outra coisa completamente diferente, algo que ela mesma nunca havia sonhado. Bom, mas ainda temos o piruá, que é o milho de pipoca que se recusa a estourar. São como aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar. Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito delas serem. A presunção e o medo são a dura casca do milho que não estoura. No entanto, o destino delas é triste,já que ficarão duras a vida inteira. Não vão se transformar na flor branca, macia e nutritiva. Não vão dar alegria para ninguém.

8 comentários:

Diva disse...

Oi,Mari

Que bom que voltou....eu tb voltei agora..

O texto é lindo!Pena que para florescermos temos que "tomat fogo no rabo" rs

Bjs

Lucia Cintra disse...

Ja tinha visto esse texto e sempre o achei muito inspirador!

Adorei re-le aqui! Dessa vez vou copiar e guardar com carinho.

E essa foto que colocou aqui... Deixa eu so dizer que sou viciada em pipoca e como uma bacia quase todo dia... Fiquei morrendo de vontade logo agora de manha.

Bjinhos, Lu

Vênus disse...

Oi,Mari

Esse texto é maravilhoso e muito verdadeiro.

Tá sumida do meu Blog..apareça!

bjs

Jhennifer Cavassola disse...

Hum, essa mensagem é linda! Desde que li ela pela primeira vez, tenho vistos as pessoas como milhos de pipoca rss. Valew a pena ler novamente! Beijos

Rui Carlo disse...

Voltar é tão complicado...
Mas vamos ao fogo virar pipocas, vamos a luta virar guerreiros e encedores, vamos pra frente virar nós mesmos e encontrarmos em nosso futuro o que planejamos.
Acho q voltei - hehehehe

Bonequinha de Luxo disse...

Oi,querida

Que legal ete texto.Não conhecia!

Estou quse virando pipoca...ufa!

bjs

Evandro Varella disse...

Ei moça...tá na hora de voltar!!!
Abraços
Vavá

J.F. disse...

Oi, Mari.
Lindo texto, muito inspirador! Obrigado! Além disso, deu-me idéia para uma postagem. Vou desenvolvê-la.
Muito bom vê-la de volta, se bem que você apareceu, sumiu, e está demorando a retornar.
Abração, amiga.